Blogia
Escuelas Interculturales Bilingües de Frontera

CLASE DE PORTUGUÉS EN BERNARDO DE IRIGOYEN

Documento: 009

Projeto: Escolas Bilíngües de Fronteira do Acordo Bilateral Argentina-Brasil

De: Lizandra Maria Zimmerman Dimer

Local e Data da aula observada: Escuela de Fronteira de J.C Nº 604 – Bilíngüe Intercultural Nº 1

Bernardo de Irigoyen, 20 de abril de 2006.

Horário da aula: 13: 15 às 16:00 horas

Professora: Darleni Pires

Série:

Número de alunos presentes: 24 alunos

Materiais disponíveis durante a aula: quadro-negro, giz, tesoura, cola, lápis de cor, texto digitado, cadernos e materiais de uso diário das crianças.

Materiais utilizados pelo professor: os mesmos que estavam disponíveis.

Clima da turma: no início da aula estavam um tanto agitados, enquanto se organizavam na sala. Durante o desenvolvimento da aula foram receptivos às atividades com excelentes produções escritas e diálogos.

 I – Apresentação:             Após os cumprimentos, cantaram: - Boa tarde, professora como vai?                                                                    Da nossa amizade nunca sai...

            P: - Tudo bem?

            A: - Sim.

            A professora entregou os cadernos que tinha levado para casa para corrigi-los e dar visto. Enquanto entregava cobrava organização, daqueles que não tinham as atividades da aula anterior em dia, nome no caderno, etc...

            Em seguida, a professora questionou sobre a última aula:

            - Sobre o que nós trabalhamos?

            A: - Pomar.

            P: - Quem era a autora?

            A professora lembrou-os: - Cecília Meireles

            P: - Como era o pomar?

            A: - Com frutas, aberto...às crianças que tinham fome...

            P: - Como era o pomar no outono e no inverno? Quem mais vivia no pomar?

            A: - As borboletas

            P: - O nosso pomar seria igual?

            A: - Não, não tem fruta no inverno, seca os galhos, cai as folhas...

            Os alunos mostraram uma excelente compreensão do texto.

            P: - Na aula passada, iniciamos as perguntas da cruzadinha, hoje nós vamos continuar.

            A professora Darleni é muito minuciosa na cobrança pela atenção dos alunos. Mesmo que tivesse momentos de conversas, quando a professora chamava-os à atenção, todos respeitavam. Pediu que colocassem a data no caderno, enquanto escrevia no quadro:

Dia 20 de abril de 2006.

            A: - Ontem era o dia do índio.

            P: - Que dia da semana é hoje?

            A: - Quinta-feira.

            A primeira atividade do dia foi a construção da cruzadinha. As questões, os alunos tinham copiado no caderno, na aula anterior:

a) Terreno cultivado com árvores frutíferas.......

b) Árvore – arvorezinha; pobre.......

c) Estação do ano que as árvores dão mais frutas .....

d) Estação do ano em que faz mais frio....

RESPOSTAS NA CRUZADINHA:

a) POMAR; b) POBREZINHO; c) OUTONO; d) INVERNO.

            As questões da cruzadinha, permitiram a professora trabalhar o diminutivo, estações do ano, escrita correta, organização no caderno, etc...

            Os alunos tiveram dificuldade em fazer a cruzadinha, por isso demoraram nessa atividade. A professora os ajudou. A correção da atividade foi feita no coletivo e, as respostas certas foram preenchidas na cruzadinha do quadro.

            A próxima atividade do dia:

1- Desenhe o que costuma acontecer na natureza no:Outono                                                  Inverno

Nesse momento a professora fez uma retomada do texto, pediu que os alunos lessem o texto. Foram soletrando, mas leram. Também foram exploradas, no coletivo, as características de cada estação.

Enquanto os alunos realizavam a atividade, a professora foi olhando o caderno das crianças, sempre incentivando para cuidarem do material, fazerem as atividades com cuidado e capricho. Colocava estrelinha ou palavras de incentivo no caderno: Parabéns! Amei!...

O fato de muitos não terem todo o material necessário: lápis, borracha..., dificulta o trabalho, pois a todo o momento ficam se deslocando, pedindo emprestado aos colegas e à professora.

Durante a atividade estavam calmos e demonstravam respeito e consideração pela autoridade da professora, que insistia na cobrança pela organização da sala, do caderno...

No segundo momento da aula (depois do intervalo), os alunos estavam mais receptivos às atividades, participando com mais dedicação. Em nenhum momento, se perdeu de vista o diálogo, as interações entre alunos e estes com a professora, que sempre estava circulando na sala e acompanhando as atividades, individualmente.

A professora mostrou-se bem dinâmica no desenvolvimento de estratégias para atrair as crianças para uma maior participação na aula. Até mesmo os mais rebeldes e agitados conseguiram fazer excelentes atividades com exemplar organização. Estes, sentiam-se orgulhosos pelas atividades realizadas. Mostravam o caderno e queriam que a professora fizesse uma estrelinha na mão ou no caderno.

2- De acordo com o texto “O meu pomar” o que aconteceria quando chegasse:a) Outonob) Inverno

Primeiramente, a professora pediu se alguém quisesse ler o texto em voz alta para formularem a resposta da questão.

A: - Eu não entendo esse tipo de letra.

Então, a professora, aproveitou um cartaz que tinha na sala para mostrar as correspondências de letras: Cursiva, script, caixa alta, letra de máquina.

A professora fez a leitura do texto e, novamente fez perguntas sobre o mesmo. Conseguiram responder, conforme o texto (anexo), sobre o que tinha no outono e no inverno.

Juan Carlos, fez uma interferência: - Tem o ~ em cima do n de outono.

A professora explicou que em português não se escrevia assim e, que as palavras que em espanhol se escrevem com ñ em português se escrevem com nh, usando como exemplo a palavra: ninho.

Dando seqüência à atividade proposta, as respostas foram construídas no coletivo, enquanto a professora transcrevia a resposta, dada pelos alunos, no quadro.

Outono: cheio de frutos amarelos e vermelhosInverno: ainda haveria lá frutas e folhas, onde alguém se abrigasse, quando chovesse ou fizesse muito frio.

            Também nessa turma, como na turma da professora Gessi, os alunos mostram desenvoltura na fala em português, prevalecendo essa língua em, praticamente todas as situações da aula.

            No final da aula, a professora recolheu os cadernos para levá-los  para casa.

           

II - Considerações finais

            Pontos importantes observados nessa aula:

·        Respeito mútuo;

·        Cadernos organizados;

·        Diálogo em torno do texto;

·        Excelente compreensão do texto por parte dos alunos.

As estratégias usadas pela professora durante a aula para uma maior participação, podem ser questionadas, mas constituíram em excelente forma de reciprocidade na relação professora X alunos. Os alunos estavam motivados para uma participação mais efetiva. Conseqüentemente, essa participação reverterá em melhores resultados na aprendizagem da L2.

As atividades elaboradas propiciaram o uso da forma oral e escrita da língua portuguesa, pela contextualização do texto, introduzido na aula anterior. Assim, evidenciam-se as utilidades e potencialidades de um texto para gerar situações de aprendizagem e desenvolvimento.

 III – Sugestões

            A professora introduziu, nessa aula, as diferentes formas da escrita, quando os alunos mostraram dificuldade no entendimento da escrita de computador. Esse trabalho deve ser estendido para outras aulas, pelo contato freqüente com diferentes formas de escrita.

            Conforme o planejamento das professoras de segunda série, estarão trabalhando, nas próximas aulas, o alfabeto. Na realidade, as professoras já estão trabalhando. Pelo presente relato, constitui-se numa necessidade apresentada pelas dúvidas dos alunos, quando relacionam a forma escrita de palavras na língua espanhola com a da língua portuguesa. Por exemplo, quando Juan Carlos questiona a forma escrita da palavra outono. Pelo conhecimento do alfabeto virão que ele é praticamente igual àquele que já conhecem com uma fonética diferente e com algumas particularidades.

            O uso de textos, a princípio curtos e variados, constitui-se em interessante recurso para motivar os alunos para suas próprias produções textuais que estão a caminho de desenvolver.

 IV– AnexosO MEU POMAR             O meu pomar seria assim: todo aberto, para todos. E, quando o outono chegasse e as árvores ficassem cheias de frutos amarelos e vermelhos, nenhum pobrezinho teria fome, nenhuma criança choraria de sede, passando pelo meu pomar...            E, no inverno, ainda haveria lá onde alguém se abrigasse, quando chovesse muito ou fizesse muito frio...            Se eu tivesse um pomar, ele estaria sempre em festa, cheio de borboletas e de pássaros...            Como eu seria feliz, se tivesse um pomar! 

Cecília Meireles, Criança meu amor, Nova Fronteira 1977

     Fazendo estrelinha na mãoprofessora Darleni corrigindo os cadernos

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres

0 comentarios

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres